Com Brasil fora da Copa, movimento em bares deve cair à metade do esperado, diz associação

Setor chegou a dobrar o faturamento em dias de jogo da seleção brasileira durante o mundial.

A eliminação da seleção brasileira após derrota nos pênaltis para a Croácia, nas quartas de final da Copa do Mundo, decepcionou milhões de torcedores – principalmente os donos de bares e restaurantes. Isso porque, sem jogos do Brasil, o movimento deve cair à metade do esperado.

É o que projeta a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), que, com as partidas da seleção brasileira, estimava uma alta média de 30% no movimento até o fim da Copa. Agora, em balanço preliminar, a previsão caiu pela metade, a 15%.

“Estávamos com resultado muito bom nas vendas até aqui. Acho que ainda será positivo”, diz o presidente-executivo da associação, Paulo Solmucci. Ele pondera, no entanto, que a eliminação da seleção deve reduzir significativamente os ganhos.

“Com a derrota, o resultado deve despencar, mas será ainda positivo. Estamos estimando 15%, até porque boa parte do resultado já aconteceu”, explica.

Ainda de acordo com Solmucci, o faturamento chegou a dobrar em dias de jogos da seleção brasileira no Catar.

Resultados do setor

Para a Abrasel, tanto este quanto o próximo ano serão de bons resultados para o setor de bares e restaurantes – ainda que a previsão seja de um crescimento menor em 2023.

A estimativa de Paulo Solmucci é de um avanço real (descontada a inflação) de 8% em relação a 2019, ano pré-pandemia, e de 5% em comparação a 2021.

 

“Nosso setor tem muita elasticidade. Se tivermos um PIB crescendo 2,5% em 2023, por exemplo, podemos crescer perto de 4%. Nós temos, normalmente, até 50% de elasticidade em relação ao PIB”, diz.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.