Polícia Federal indicia 15 pessoas por extrair de forma ilegal ouro que seria levado para a Europa

A Polícia Federal indiciou 15 pessoas por extrair, transportar e comercializar de forma ilegal ouro que seria levado para a Europa. Investigação começou há 2 anos, após mais de 100kg do minério ser encontrado em avião no Aeroporto de Goiânia.

Os nomes dos indiciados não foram divulgados, por isso, o g1 não conseguiu localizar a defesa deles até a última atualização desta reportagem.

Os 111 kg de ouro apreendidos pelas polícias Federal e Militar em avião monomotor no aeroporto de Goiânia Goiás — Foto: Divulgação/Polícia Federal

No mesmo dia da apreensão da carga em Goiânia, um suspeito foi preso. Segundo a PF, o ouro era extraído em garimpos ilegais do Mato Grosso e tinha como destino a Itália. Mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Goiás, MT e São Paulo, além da apreensão de duas aeronaves.

De acordo com a PF, entre as 15 pessoas identificadas estão:

 

  • garimpeiros: que extraíam o ouro
  • intermediários: que fizeram a pesagem e o beneficiamento do minério;
  • grandes empresários: que adquiriam o ouro e o transportavam em aeronaves com notas fiscais falsas;
  • financiadores: pessoas que financiavam o grupo para a manutenção dos crimes.

 

Avião que transportava 111 kg de ouro e foi apreendido ao pousar no aeroporto de Goiânia, Goiás — Foto: Divulgação/Polícia Federal

Avião que transportava 111 kg de ouro e foi apreendido ao pousar no aeroporto de Goiânia, Goiás — Foto: Divulgação/Polícia Federal

Investigação

A Polícia Federal informou que, após a apreensão da carga em 2019, os grandes empresários venderam imóveis de alto valor em Goiânia, com o intuito de se livrar das investigações. E pessoas que os ajudaram na lavagem de dinheiro também foram identificadas e indiciadas.

Os policiais disseram que, o longo dos últimos anos, os indiciados foram responsáveis pela extração de mais de uma tonelada de ouro. Uma carga avaliada em cerca de R$ 457 milhões.

Ainda conforme a PF, as 15 pessoas foram indiciadas pelos crimes de crimes de organização criminosa, usurpação de bem da União, extração de ouro sem autorização legal, receptação qualificada, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

A PF informou que os indiciados respondem pelos crimes em liberdade. Não foi informado o que eles disseram em depoimento.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

No Banner to display