Buscas localizam cadáver em depósito de entulhos que pode ser de jovem que foi torturado e morto em Jauru

Após três dias de buscas, a Polícia Civil, com apoio de um grupamento do Corpo de Bombeiros, localizou nesta quinta-feira (09.06), em Jauru, um cadáver que, de acordo com as investigações, pode ser do jovem João Felipe dos Santos Bogea, desaparecido desde fevereiro depois de ser sequestrado, torturado e morto.

As buscas foram realizadas em um depósito de entulhos do município dentro das investigações instauradas pela Delegacia de Jauru para apurar os rimes de tortura, homicídio qualificado, ocultação de cadáver, corrupção de menores e organização criminosa.

Os restos mortais da vítima foram localizados com apoio da equipe de Busca e Resgate com cães do Grupamento Atena, do 2ª Batalhão do Corpo de Bombeiros de Várzea Grande. A Secretaria de Obras da Prefeitura de Jauru também auxiliou o trabalho das equipes com a cessão de maquinários utilizados na escavação.

Investigação

A Delegacia de Jauru empregou quatro meses de diligências em campo, análise de perícias e levantamento de informações para esclarecer o desaparecimento da vítima.

As investigações coordenadas pelo delegado Antônio Carlos Pinzan Junior resultaram na prisão, até o momento, de cinco adultos envolvidos no crime e na internação de um adolescente. Também foi localizada uma mala de roupas da vítima e apreendidas armas e drogas durante as diligências da Operação Raptus. 

O delegado explicou que a área onde o corpo foi localizado foi isolada para o trabalho da Politec, que coletará todos os materiais necessários e fará o encaminhamento à perícia forense para o confronto de material genético e confirmação da identidade da vítima.

“O inquérito policial será finalizado nos próximos dias e encaminhado ao Poder Judiciário com cópia ao Ministério Público Estadual. Os envolvidos serão indiciados por tortura, homicídio qualificado, ocultação de cadáver, corrupção de menores e organização criminosa”, destacou o delegado.

Desaparecimento

João Felipe Bogea tinha 23 anos, era natural do estado do Maranhão e estava trabalhando em uma empresa de Jauru. O jovem desapareceu na noite do dia 06 de fevereiro deste ano, quando um grupo de pessoas o raptou no alojamento da empresa.

Desde o registro do desaparecimento, a Delegacia de Polícia de Jauru efetuou inúmeras diligências para chegar ao paradeiro da vítima.

No início de abril, a Polícia Civil realizou a primeira fase da Operação Raptus, cumpriu 12 mandados de busca e apreensão e reuniu informações que possibilitaram a identificação dos responsáveis pela tortura, homicídio e ocultação do cadáver da vítima.

Fonte: PJC MT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.