Polícia Civil recupera mais de R$ 8,3 mil subtraídos de vítimas de diferentes golpes eletrônicos

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Informáticos (DRCI), recuperou mais de R$ 8,3 mil subtraídos de três vítimas de diferentes golpes de estelionato cometidos de forma virtual.

A primeira vítima procurou a Delegacia de Polícia do município de Sinop, região norte do Estado, na segunda-feira (03.10). O comunicante de 21 anos informou que entrou em contato com uma empresa financeira no Estado de São Paulo, para realizar um empréstimo.

Durante a negociação a vítima foi informada que deveria pagar algumas taxas para liberação do empréstimo, e pagou dois boletos no valor total de aproximadamente R$ 1.250 mil.

Em seguida o suspeito solicitou mais um pagamento de R$ 1,5 mil, referente a mais uma taxa, foi quando a vítima percebeu que havia caído em um golpe.

De imediato a equipe de Sinop entrou em contato com a DRCI, a qual através de parceria com o Setor de Antifraude do banco, efetuou o bloqueio bancário do valor total subtraído da vítima.

Ainda na segunda-feira (03) uma mulher de 56 anos e moradora do bairro Morada da Serra, em Cuiabá, procurou a Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Informáticos, para registrar o boletim de ocorrência.

A vítima narrou que recebeu uma ligação em que a pessoa se apresentou dizendo ser de um banco, bem como teria uma transação fraudulenta sendo realizada em sua conta bancária e a mesma teria que deslocar até um caixa eletrônico para efetuar o bloqueio.

Acreditando na informação repassada no telefonema, a comunicante foi até a agência e ao acessar sua conta, percebeu que haviam sido realizadas duas transações fraudulentas via PIX nos valores de R$ 2 mil cada. Ambas as conta beneficiadas possui a mesma titularidade.

Com base nos fatos a DRCI conseguiu junto ao Setor de Antifraude do banco, bloquear os valores subtraído da vítima.

O terceiro golpe foi registrado nesta terça-feira (04), na Delegacia de Nortelândia, região médio norte do Estado. A vítima de 24 anos contou que havia caído no golpe da rede social “Instagran”.

Ao ver uma postagem que prometia PIX em dobro, o jovem enviou um PIX no valor de R$ 2,8 mil. No entanto, somente depois percebeu que se tratava de um estelionato.

A Delegacia de Nortelândia solicitou apoio à DRCI que conseguiu fazer o bloqueio bancário do valor subtraído da vítima de forma fraudulenta.

As investigações continuam visando identificar e responsabilizar criminalmente os autores dos crimes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.