‘Dinheiro esquecido’: Publicitário de MT só tem 1 centavo a receber e saca valor: ‘Foi motivo de piada’

O publicitário e servidor público Wilmar Lucas Neto, que mora em Cuiabá, descobriu que teria valores a receber do Banco Central do Brasil e no dia de sacar se surpreendeu com o valor: apenas 1 centavo. Apesar do valor baixo, ele optou por transferir o valor para a conta dele e sacar o um centavo.

 

“Vi que tinha essa possibilidade de informar os dados e sacar e mesmo sendo 1 centavo é meu. Preferi sacar e não deixar lá para não enriquecer ainda mais os bancos”, afirmou.
Ele disse que no trabalho a situação rendeu piadas. “Fizemos uma aposta com os colegas para ver quem tinha menos a receber e eu ganhei. Foi motivo de piada”, afirmou. Wilmar nasceu em junho de 1988 e a consulta do valor a receber foi liberada nesta semana. No dia informado, terça-feira (22), ele entrou no site do Sistema de Valores a Receber e se surpreendeu.

Ele contou que quando começaram a surgir histórias de pessoas que tinham migalhas na conta, não criou muita expectativa, mas não imaginava que fosse tão pouco.

“No final das contas eu acabei ganhando essa disputa de quem tinha menos a receber. Quando visualizei o valor já não estava na expectativa de receber um valor muito alto”, disse.

Até R$ 8 bilhões

 

Segundo o Banco Central, nesta primeira fase do serviço são cerca de R$ 4 bilhões de valores a serem devolvidos para 28 milhões de pessoas físicas e jurídicas. Os valores decorrem de:

 

  • contas-correntes ou poupança encerradas com saldo disponível;
  • tarifas e parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente, desde que a devolução esteja prevista em Termo de Compromisso assinado pelo banco com o Banco Central;
  • cotas de capital e rateio de sobras líquidas de beneficiários e participantes de cooperativas de crédito; e
  • recursos não procurados relativos a grupos de consórcio encerrados.

 

Uma segunda fase terá início em 2 de maio. É a essa segunda etapa que se refere a mensagem que aparece para muitos clientes que acessam o sistema (veja na imagem mais abaixo).

Página do BC informa que cidadão sem valores a receber atualmente poderá fazer nova consulta a partir de maio. — Foto: Reprodulção

Ao todo, o Banco Central estima que os clientes tenham a receber cerca de R$ 8 bilhões. Os valores serão disponibilizados no decorrer deste ano de 2022, fruto de:

 

  • tarifas e parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente, previstas ou não em Termo de Compromisso com o BC;
  • contas de pagamento pré-paga e pós-paga encerradas com saldo disponível;
  • contas de registro mantidas por corretoras e distribuidoras de títulos e valores mobiliários encerradas com saldo disponível; e
  • outras situações que impliquem em valores a devolver reconhecidas pelas instituições.

Fonte: G1 MT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

No Banner to display